domingo, maio 31

só até antes de acabar, o amor ou o olhar


O olho que vive acostumado a piscar aprendeu a se abrir por mais tempo, a sorrir apertado, a fechar sem parar de te ver, a ver você pelas esquinas, na delicadeza das coisas, no fluir que a vida dá, no afago amansado, no beijo quase sempre dado e quase sempre realizado, e de tanto quase, o nunca é sempre a resposta. Gasta o tempo de te ver, vendo flor e sorri por cada segundo passado, nunca desperdiçado. Por piscar para te ver melhor aberto, se fecha para te ver sempre por perto, na certeza que te toca e na incerteza se na próxima esquina ainda vai querer ser tocada. E se o mundo acabar? Que não pare nunca de piscar, de se amar, imaginar, te olhar.

T.D.O.Marques

Um comentário:

Rosa Mattos disse...

Ver e não ver. Como um sistema binário (1 ou 0), tijolinhos que se juntam pra formar uma unidade. Num piscar de olhos, o acontecimento. Achei superbacana teu texto.