domingo, junho 24

Sabedoria.


 
Como é bom ser verdadeiro
Como é bom saber das coisas
Mesmo que os outros não saibam
Mesmo que só eu conheça
Senhores, eu conheço, eu sou o único que vejo
Em meu trono de boçalidade
Vejo meras formigas
Formigas inúteis
Que me servem de diversão
Piso, maltrato e trato como quero
O que são formigas perto do meu trono de soberania?
Sabedoria única, jamais vista
Sabedoria da minha inutilidade.

Thomaz Diniz O. Marques

 


Link da foto

4 comentários:

Van disse...

Olá Thomaz

Com certeza, esta que você descreveu é mesmo uma sabedoria inútil, enganosa eu diria, pois quento mais se sabe, mais se sabe que nada se sabe.

Gostei muito do seu comentário em minha notícia "Poema da Amante", te respondi lá com um convite.

Abraços

Vanda disse...

É o que mais importa: A verdade que há em nós =)

Thomaz disse...

Temos que nos olhar, para depois entender o alheio...

Rosa Mattos disse...

Bom dia, Thomaz,

Realmente olhar a todos do alto, se exaltando e se achando melhor, pisando nos outros a quem considera menores é uma sabedoria inútil.

Ficou interessante a ironia fina por trás das palavras e o tom crítico dado ao texto, que serve pra nos fazer refletir.

abração/

http://contosdarosa.blogspot.com